Os 3 pilares para um excelente branding

Branding

Esses pilares dão sustentação para o seu branding. São os princípios fundamentais que norteiam as estratégias e decisões para alcançar os resultados pretendidos.

E quais seriam esses 3 pilares? A gente pode pensar na base de uma estratégia de marketing como um tripé de três perguntas:

Por que a empresa existe (e a quem ela serve)? Onde ela quer chegar (e em quanto tempo)? E até onde vai se arriscar para fazer isso acontecer?

Para entender melhor o que é a missão, a visão, e os valores de uma organização, vamos começar pela alma do negócio:

O que é a missão de uma empresa e como isso afeta o Branding

O que permitiu a Starbucks se tornar uma cafeteria tão popular no planeta, enquanto a Cafeteria do Juca, aí na esquina, ficou invisível para os clientes e teve que fechar as portas?

Não foi a qualidade do café – apesar da qualidade fazer diferença para o consumidor. Também não foram os preços. Muito menos foi a quantidade de franquias espalhadas pelo globo.

O que tornou essa cafeteria uma Starbucks – e não Juca’s – foi a decisão de levar o negócio a sério e desenvolver uma missão ainda mais estratégica que o objetivo de “se tornar a maior rede de cafeterias do mundo” ou mesmo “vender mais” (frase que o empresário insiste em dizer que é a missão).

Dar missão para uma cafeteria elevou o nível do negócio a um ponto em que a ela deixou de ser “um lugar que vende café” e se tornou Starbucks.

Acha que esse nome está aí à toa?

Starbucks é um negócio fácil de referenciar, já que pronunciar “star-bãqs” é rápido, cheio de identidade e gostoso – vai dizer que não? 

De adolescentes a empresários, Starbucks se tornou um ponto de encontro para tribos conectadas à internet, conectadas à interação com pessoas, e conectadas ao café e seus derivados – é lógico.

Como diria a própria Starbucks:

“Starbucks Coffee’s mission is to inspire and nurture the human spirit – one person, one cup and one neighborhood at a time.”

Ou seja, a missão da Starbucks é se tornar um local de reunião que abraça a diversidade com respeito e dignidade, dentro da linha de trabalho e no atendimento ao cliente, entusiasmando empregados e consumidores 100% do tempo – e contribuindo positivamente para o meio-ambiente e sociedade.

A maior parte da missão fala da razão da empresa existir; da alma; do motivo de servir e suprir a necessidade de um espaço positivo para as pessoas se conectarem.

Ao começar uma empresa ou reformular um projeto estagnado, determinar uma missão clara facilita a identificação do negócio e o trabalho de inspirar quem se envolve com ele – sejam empregados, distribuidores ou clientes.

Como criar uma missão?

Definir uma missão, assim como nos videogames, deixa os jogadores afiados para perceberem quais decisões ajudam ou atrapalham na realização efetiva da missão – aumentando a produtividade dos envolvidos, os resultados dos investimentos e a relevância do negócio.

A missão é uma guia confiável para negar riscos com pouca (ou nenhuma) probabilidade de vitória no segmento cobiçado – e é dizendo não para distrações que uma organização pode concentrar esforços para se tornar formidável no que faz, em vez de ser só mais uma opção no mercado.

Ao decidir atender uma necessidade que ainda não foi sanada num determinado nicho, e transformar tal decisão no motivo por qual sua firma abre as portas todos os dias, as chances de fazer algo original e valioso ficam tão grandes quanto a possibilidade de engajar quem trabalha ao seu lado, quem compra de você, e quem ouve falar da sua empresa.

Então pense:

“O que minha empresa faz de diferente das outras no segmento? A quem ela atende e por quê? Como ela pode beneficiar a sociedade através das atividades que exerce?”

Com as respostas, desenvolva uma frase curta, ou uma lista de frases curtas, que descrevam com precisão cirúrgica os propósitos da sua marca estar na ativa.

Essa será a declaração de missão da empresa, que junto com a declaração da visão e dos valores do negócio, suportará estratégias de aprimoramento, branding, campanhas de comunicação, reestruturações, ou otimizações de network.

O que é a visão de um negócio e como ela pode influenciar no branding

Já disseram que seu projeto não tinha visão?

É arriscado investir num ideal sem realismo nem imaginação, porque é a visão que orienta colaboradores nos momentos de desenvolvimento, de expansão, de lucro e notavelmente durante as crises.

A visão representa como, onde, e em quanto tempo uma organização chegará em determinado nível de atuação no setor – e como o seu branding será visto tanto por quem estará dentro, quanto por quem estará fora dela.

Se você perguntasse qual a visão de negócio da Starbucks – onde ela planeja estar em alguns anos no futuro – ela declararia as aspirações da seguinte forma:

“Nos estabelecer como provedores do melhor café do mundo mantendo nossos princípios inegociáveis enquanto crescemos”.

A visão da Starbucks então envolve:

– O “sonho” de distribuir o melhor café do mundo (uma missão enorme);

– Mantendo os princípios da missão de gerar ambientes que abraçam diversidade e tratam a todos com dignidade enquanto se expandem (o que também não é fácil).

É com uma declaração de visão para daqui a alguns anos que uma empresa responde:

– Em qual mercado estará atuando?

– Por quais destaques o negócio será reconhecido no segmento? Por quê?

– Como funcionará o tratamento aos funcionários? Quantos deles serão contratados – em quanto tempo?

Aí é só anotar as observações em tópicos breves e fáceis de comunicar às pessoas.

Se missão é a alma do negócio, visão é o fogo que acende o combustível de quem desperta às cinco da manhã para empreender.

Para uma grande empresa a visão é mais filosófica como a da Starbucks, mas para empresas menores é imprescindível que a visão carregue números e indicadores palpáveis, faturamento, share de mercado, satisfação do cliente. Isso para que fique claro para todos aonde queremos chegar.

Por que uma empresa precisa de valores?

Os princípios do seu negócio estão claros para qualquer pessoa que entre em contato com ele – seja por telefone, pelos comentários de alguém, ou pelo feed das redes sociais?

Onde se concentra sua reputação?

Como está o seu branding?

Quando a Starbucks diz que a missão dela é:

“Nos estabelecer como provedores do melhor café do mundo mantendo nossos princípios inegociáveis enquanto crescemos.”

Ela diz que vai ser o melhor ponto de encontro para um café de qualidade em qualquer parte do mundo – e diz que não vai ferir o meio-ambiente, a sociedade, nem os empregados em prol desse propósito.

Ela diz que vai tratar diversidade com dignidade e respeito.

Uau, isso é ambição!

Isso é valor.

É fácil para consumidores, investidores, colaboradores e servidores se sentirem motivados por uma cultura empresarial que expõe seus valores dessa forma – com clareza e ousadia.

A conexão – o elo entre as pessoas e a marca – é fortalecida.

A mensagem fica clara:

“Fazemos isso porque amamos. Não fazemos aquilo porque não soma à conclusão da nossa visão – e não nos valoriza enquanto entidade.”

Valores numa empresa ajudam a transformar a missão e a visão numa realidade, contrabalanceando a pressão do mercado ou a ambição dos investidores – e os possíveis erros que serão cometidos por todo mundo no caminho para o sucesso.

Os valores devem ser aplicados e muito bem comunicados, principalmente pelo endomarketing, pois com uma cultura de valores estabelecida, é possível crescer ordenado e preservando o que a empresa carrega de diferencial, o seu DNA.

Leve seu negócio a sério (quanto mais cedo, melhor)

Quando falamos de consultoria em marketing e branding, são esses três elementos intrínsecos na vida de uma empresa que são resgatados por profissionais capazes de corrigir e otimizar o posicionamento do negócio, multiplicar os resultados positivos, e diminuir os desperdícios de atenção.

É essencial que qualquer profissional, mesmo sozinho, em qualquer área e com um negócio de qualquer tamanho, faça o trabalho de consultoria para si próprio – ou contrate uma agência ou consultoria de marketing.

O investimento traz ganhos exponenciais – e em tempos transitórios como esses de pandemia, ter um manual da empresa e um mapa do mercado é ter um kit de sobrevivência no meio da selva.

Resumindo: qual a diferença entre missão, visão e valor?

A missão é o porquê da sua empresa existir.

A visão é como e quando a missão será cumprida.

Os valores marcam até onde a empresa vai para alcançar a visão e realizar a missão.

Como aplicar a missão, visão e valores no seu branding

Definindo a missão principal com uma visão inspiradora suportada por valores robustos, é possível criar um alvo bem grande – para não ter como errar na hora de lançar os dardos.

Esse “passo a passo” agiliza a criação de ações objetivas e corretas para o desenvolvimento do branding – permitindo a apresentação do empreendimento e suas possibilidades para grupos de investidores ou compradores.

Para os clientes também, mas isso é óbvio.

Será que a mira da sua empresa precisa de um upgrade?

A WHB tá acertando alvos desde 2005 – e não vamos parar tão cedo 🎯 É só dar um oi se quiser mais dicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.